A lenda do Folar de Páscoa

A lenda do Folar de Páscoa

Em uma pequena aldeia Portuguesa vivia Mariana, uma jovem que queria muito se casar.

A Jovem era muito devota de Santa Catarina e rezou a pedir uma ajudinha à santa.

Tanto rezou que apareceram dois pretendentes, um fidalgo rico e um lavrador pobre. Que pediram uma decisão até o Domingo de Ramos.


Indecisa, a jovem voltou a pedir a ajuda da santa, quando no Domingo de Ramos uma vizinha foi avisar que os dois estavam a travar uma luta de morte.

Mariana correu e disse o nome de Amaro, o lavrador pobre.

Atormentada por ter escutado que o fidalgo mataria Amaro no dia do casamento, Mariana foi pedir ajuda à Santa, levando flores ao altar.

Quando chegou a casa, encontou um grande bolo com ovos e com as flores que havia levado ao altar havia recebido um bolo semelhante.

A jovem correu para a casa de Amaro, que também havia recebido o bolo. Pensando que tinham sido oferecidos pelo fidalgo, foram agradecer e ele também havia recebido um bolo semelhante.

O bolo ficou conhecido como folore, mais tarde virou folar, e tornou-se uma tradição das festividades da Páscoa, que celebra a amizade e a reconciliação.

Referência Lenda do Folar da Páscoa in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-04-03 11:09:01]. Disponível na Internet: https://www.infopedia.pt/$lenda-do-folar-da-pascoa

Manda um bitaite